Notícias

Começa o fim da novela do KM 28 em Colatina

Mais de R$ 20 milhões foram liberados pelo Departamento Nacional de Infra-Estrutura (Dnit) para o […]

Publicado: Domingo, 10 de setembro de 2017.

Mais de R$ 20 milhões foram liberados pelo Departamento Nacional de Infra-Estrutura (Dnit) para o fim das obras de contenção do KM 29 da BR-259 em São Gabriel de Baunilha, em Colatina noroeste do Espírito Santo.

A informação de que o complicado trecho da estrada será consertado foi dada neste sábado, 9 pelo deputado federal Paulo Foletto (PSB).

O começo do fim da novela que se arrasta há mais de oito anos será licitado em regime diferenciado. “Desde o início do mandato de deputado federal que bato nesta tecla. Finalmente até o final deste ano a obra deverá ser iniciada. O serviço será contrato nos próximos meses”, confirmou.

A previsão das obras é de 18 meses, segundo o deputado. Alvo de denúncias do Ministério Público Federal (MPF) os 106 km da BR-259 está sob intervenção a mando da Justiça. Uma determinação da Justiça obrigou o Dnit a recuperar a rodovia entre João Neiva e Baixo Guandu.

Apesar de pequeno, o KM-28 já foi alvo de dois inquéritos civis públicos do Ministério Público Federal (MPF-ES). Um por prejuízos aos cofres públicos. Outro por danos ambientais. Já recebeu quase R$ 8 milhões em obras. O desvio novinho de cerca de 500 m está prontinho.

Ainda não foi liberado ao tráfego por causa do risco de deslizamento de pedras. As obras para corrigir uma dos pontos mais perigosos da rodovia conhecido como ‘curva assassina’ foram iniciadas em 2009. Além dos serviços de contenção da encosta está prevista a duplicação da pista a fim de garantir maior segurança na rodovia federal.

A obra que ‘nunca termina’ no entender de um motorista que não quer aparecer por ser funcionário público federal é um exemplo de desperdício de dinheiro público.

“Não tem explicação lógica. Fizeram uma obra para consertar um local de muitas mortes e causaram um problema maior ainda com risco constante de vida aos motoristas devido à queda de rochas”, disparou.

Comente