Notícias

Denúncia: drogas, desordem e som alto na Rua da Lama

Consumo de drogas, pessoas dirigindo alcoolizadas, jovens urinando na rua e som alto até de […]

Publicado: Quinta-feira, 13 de setembro de 2018.

Consumo de drogas, pessoas dirigindo alcoolizadas, jovens urinando na rua e som alto até de manhã. A equipe da TV Vitória acompanhou, durante um mês, a movimentação noturna na Rua da Lama, na região de Jardim da Penha, em Vitória.

Além do consumo de drogas ao ar livre, outro problema apontado é desordem no trânsito. Pessoas e veículos ocupam o mesmo espaço. A equipe de reportagem encontrou uma viatura da guarda de trânsito na rua, mas o veículo estava vazio. Durante a apuração, a equipe não viu nenhuma abordagem.

Moradores dos entornos da Rua da Lama afirmam que o consumo de drogas é comum no local. Segundo eles, os traficantes chegam a oferecer as drogas para os moradores nas calçadas das residências. Outra queixa dos moradores é o som alto, que não tem hora para acabar. O disque-silêncio já foi acionado, mas os moradores relatam que o problema não foi resolvido.

Em relação a presença da Polícia Militar, os moradores e frequentadores afirmam que as viaturas passam pelo local, mas não fazem abordagens.

Histórico

A movimentação noturna na Rua da Lama teve início na década de 1980, quando os primeiros bares foram abertos. Com o passar dos anos o espaço ganhou cada vez mais frequentadores e se tornou tradição da vida noturna na capital.

Em 2015, a Rua da Lama foi transformada em um polo gastronômico pela Prefeitura de Vitória. Em 2017 surgiu a proposta de implantação do projeto “Rua Viva” no local, com objetivo de organizar o espaço público e oferecer mais segurança para os frequentadores e moradores da rua.

Prefeitura de Vitória

O secretário de segurança pública de Vitória, Fronzio Calheira disse que às terças-feiras o trânsito é interditado no local. Durante as sextas-feiras a guarda de trânsito atua para coibir qualquer tipo de trânsito irregular de veículos e que os motoristas são notificados. Em relação a presença de pessoas disputando o espaço com os veículos, o secretário alega que a guarda de trânsito não consegue impedir que as pessoas circulem pelo local, pois é um direito delas.

Quanto aos carros de som e a reclamação dos moradores de barulho durante as madrugadas, Fronzio diz que de janeiro a agosto deste ano, a Prefeitura de Vitória já aplicou 150 notificações por infrações ao código de meio ambiente do município. Desse total, 80 penalidades foram aplicadas a motoristas de carros de som. O valor da multa é de R$ 6.534,00 a cada infração cometida.

O secretário diz ainda que “sempre que um fiscal presencia algo que é criminoso, ele tem que fazer a comunicação do crime”. Fronzio Calheira afirma que quando o crime é comunicado para a Guarda Municipal ou Polícia Militar, é feita a condução da pessoa. Por fim, o secretário afirma que o poder público municipal ainda busca um equilíbrio entre a tranquilidade dos moradores e a diversão dos frequentadores do local.

 

Matéria Retirada na Íntegra do Portal Folha Vitória

Comente