Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no tumblr
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Cristiano Ronaldo deu um show, nesta quarta-feira, no Algarve, na vitória de virada de Portugal sobre a Irlanda, por 2 a 1, em duelo válido pelas Eliminatórias Europeias para a Copa do Mundo do Catar. Depois de perder um pênalti no primeiro tempo, o atacante fez os dois gols, ambos de cabeça, aos 44 e aos 51 da etapa final. Ele se consagra como o maior artilheiro de seleções, com 111 gols marcados.

Com isso, Portugal lidera o Grupo A, com dez pontos, contra sete da Sérvia, seis Luxemburgo, que bateu o Azerbaijão, por 2 a 1. A Irlanda ainda não somou ponto, assim como o Azerbaijão.

A partida foi como se esperava. Portugal pressionou, enquanto os irlandeses atuaram timidamente no contra-ataque. Os visitantes tiveram a oportunidade de abrir o placar aos 15 minutos, mas Bazunu defendeu a penalidade cobrada por Cristiano Ronaldo. O lance diminuiu o ímpeto de Portugal, que viu Egan abrir o placar aos 45 minutos.

Na etapa final, Cristiano Ronaldo tentou de todas as formas pelo menos o empate, mas a bola teimou em não entrar. Quando parecia que a derrota estava decretada, duas cabeçadas do camisa 7 garantiram a virada espetacular, a liderança da chave e o recorde de gols para o CR7, que festejou o segundo gol sem camisa e acabou levando o terceiro cartão amarelo, o que o impede de atuar na próxima rodada, dia 7, terça-feira, contra o Azerbaijão.

“Futebol é assim. Fiquei uns dez minutos triste depois que perdi o pênalti. Mas fomos em busca da vitória, não desistimos e conseguimos com a ajuda de toda a equipe”, disse Cristiano Ronaldo, ao canal TNT Sports. Ele também admitiu que queria muito atingir o recorde de gols por seleções, superando o iraniano Ali Daei (109).